Parque Una PelotasResponsabilidade socialUrbanismo

Um bairro criado para oferecer qualidade de vida em Pelotas

Descubra como a Associação Parque Una Pelotas promove qualidade de vida engajando a comunidade na preservação do espaço público

Desde sua construção, o Parque Una Pelotas começou uma trajetória de ressignificação dos espaços urbanos. Ao trazer para a cidade o olhar do Novo Urbanismo, o bairro planejado conseguiu direcionar a arquitetura para traduzir diferentes estilos de vida.

Mas, apesar de ser projetado por uma empresa privada, o Parque Una Pelotas é um bairro público entregue à comunidade. O que levou a Idealiza, responsável pela construção do espaço, a procurar referências de iniciativas voltadas à conservação de seu espaço público. 

Afinal, era fundamental garantir que o bairro permanecesse bem cuidado mesmo após a entrega dos empreendimentos imobiliários. Essa perspectiva deu origem à Associação Parque Una Pelotas, encarregada pela manutenção das áreas de uso comum, jardinagem e segurança.  

Já o alcance da entidade — composta pelos proprietários de imóveis residenciais e comerciais do local — vai muito além das ações de conservação de rotina. Neste cenário, a Associação caracteriza um estímulo importante ao senso de comunidade em prol da qualidade de vida.

Um convite à garantia da qualidade de vida no espaço público

Preocupação com a manutenção do bairro motivou criação de Associação Parque Una

O Parque Una Pelotas foi projetado para as pessoas desfrutarem da vida em conjunto, oferecendo à população uma nova forma de apropriação em áreas públicas.  

No Una, você encontra uma variedade de moradias, pontos para lazer e serviços próximos sem precisar enfrentar o caos do trânsito. No bairro planejado, pedestres estão em primeiro lugar. Dessa reinvenção das oportunidades de convivência, a Idealiza percebeu que poderia fomentar também o sentimento de pertencimento.

Assim, o incentivo ao engajamento coletivo convida as pessoas a serem defensoras do espaço em seu entorno. Iniciativa semelhante, e que serviu de exemplo para a concepção da Associação Parque Una Pelotas, foi a experiência do bairro planejado Cidade de Pedra Branca, em Palhoça/SC. 

Tanto no modelo catarinense quanto na abordagem em Pelotas, o objetivo está em mobilizar os usuários para que eles assumam ativamente o papel de zelar pelo ambiente em que vivem

Com cada proprietário de imóvel assumindo o compromisso de participar das decisões de manutenção do Parque, a conservação da qualidade de vida no espaço público fica garantida. 

Com uma pequena mensalidade, Associação mantém limpas todas as áreas de uso comum

Com a metodologia de compartilhamento de responsabilidades, os ambientes que tanto alegram a população, como a quadra e a pista de caminhada para quem gosta de praticar esportes, e os pontos de encontro e de lazer, como o lago, playground e o anfiteatro estarão sempre em perfeito estado.

Para que isso ocorra na prática, o estatuto da Associação prevê diferentes tipos de associados, mas todos os proprietários de imóveis no Una são integrantes da instituição. 

Sob o objetivo de tratar dos interesses em comum no bairro planejado, moradores e empresários se reúnem periodicamente em assembleias setoriais. O que demonstra ser possível ter em espaços públicos a mesma garantia de cuidado vista em áreas condominiais. 

Inicialmente, a Idealiza custeou as despesas da Associação até que houvesse moradores. Depois, quando as famílias se mudaram, foi possível cobrar uma mensalidade com um valor pequeno por metro quadrado para patrocinar os serviços de manutenção.

Coletividade a serviço da segurança

Parque Una Pelotas traz também um novo olhar sobre a segurança pública

Um ambiente cada vez mais convidativo. É o que o Parque Una Pelotas se torna a cada dia. Mas, não podemos falar de todas as vantagens de um espaço planejado sem levar em conta a importância de se sentir em segurança. E este tema, sem dúvidas, precisa estar na pauta de uma entidade de bairro.

Obviamente, todos queremos circular em paz em ruas tranquilas e protegidas. Mas será que a segurança precisa ser feita exclusivamente pela Polícia? Mais uma vez, a Associação Parque Una Pelotas traz referências contundentes na ressignificação dos usos do espaço público. 

A ativista Jane Jacobs, autora do conceito “Olhos da Rua” propõe uma visão diferente na qual a movimentação das pessoas em áreas públicas contribui para tornar as ruas mais seguras

Esses “olhos” da comunidade, tal como descritos por Jane despontam como um recurso de vigilância coletiva, outra frente de trabalho da Associação, mobilizada no fortalecimento de uma vizinhança solidária e vigilante

Sob essa perspectiva, a própria circulação de pessoas nas ruas cria um sistema de segurança compartilhada na qual moradores, trabalhadores e visitantes formam uma rede de cuidados mútuos. Ou seja, a segurança é aumentada graças aos olhos das pessoas em movimento pelo bairro para as mais diferentes atividades.

Além da vigilância coletiva compartilhada pelas pessoas, sistema de câmeras é outro plus

Além da contribuição de moradores e visitantes, o monitoramento do bairro é reforçado com o suporte de câmeras speed dome que possuem visão 360º, controladas por joysticks, e câmeras LPR, modelo que permite o reconhecimento de placas de veículos. Todo o sistema é conectado à central de monitoramento da Brigada Militar e as imagens também são espelhadas para uso da Secretaria de Trânsito de Pelotas, contribuindo para autuações de infrações e soluções de eventuais ocorrências.

Defensores do Parque Una

Outro chamado à coletividade no Una foi a criação da Multa Moral, uma abordagem descontraída para educar os usuários sobre normas de convivência e a importância da preservação do patrimônio público. 

Com o apoio de panfletos, as pessoas poderiam, claro que sem poder de polícia, usar as multas morais para sensibilizar visitantes a repensarem atitudes incorretas.

A iniciativa descontraída focava no combate a infrações, como por exemplo, estacionar em áreas indevidas, incentivando o bom-senso no uso dos espaços de uso comum do Parque.

“A ideia surgiu a partir de um desafio: como criar espaços civilizados, com senso de comunidade e ao mesmo tempo plurais e abertos”, conta Fabiano de Marco, sócio da Idealiza.

Outra iniciativa com foco educacional foi o Projeto Defensores do Parque Una, que  leva artistas vestidos de heróis para abordar de forma bem humorada os visitantes do Parque aos domingos e feriados, atuando para orientar sobre questões de cuidados com o local e convivência harmoniosa.

“Um momento especial para as pessoas olharem o parque como um lugar seu e transmitirem, em suas ações, o carinho pelo parque. Assim como o desejo de ver esse parque bonito e sempre vivo”, afirma a coordenadora do projeto, Aline Maciel.

Você também pode conferir mais detalhes sobre a abordagem educativa do projeto no vídeo abaixo:

Paixão por construir bairros com vida

O Parque Una Pelotas é muito mais do que um empreendimento imobiliário. Por isso, sua construção fugiu das formas tradicionais de loteamentos e se alicerçou em visões inovadoras como Novo Urbanismo, Olhos da Rua, e Cidades Para Pessoas.

As soluções apresentadas pelo urbanista Jan Gehl e a ativista Jane Jacobs, por exemplo, correspondiam exatamente à visão ideal para a concepção de um bairro que Pelotas merecia

Foi por este motivo que a Idealiza escolheu com tanto cuidado e carinho essas referências na construção do Parque Una, entre elas, a busca pelo desenvolvimento de uma associação de bairro.

“Acreditamos que esse urbanismo feito sob medida, além de trazer um legado para a comunidade onde instalamos, traz características únicas para o empreendimento e é isso que traz excelentes resultados”, afirma Fabiano de Marco, sócio da Idealiza.


Viu como a vida no Una pode ser incrível? Se você quer saber mais sobre empreendimentos imobiliários residenciais e comerciais no Parque Una Pelotas, preencha este formulário e vamos entrar em contato com mais informações.

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *